Ahankara(Noção de eu)

"O'ego' permanece ou não nos níveis superiores de desenvolvimento?"


Paulo Murilo Rosas

Para o leitor não habituado com a literatura yóguica parece haver certa confusão a respeito da noção do “ego”, isto é, se ele permanece ou não nos estágios superiores de desenvolvimento – experiências de Samadhi.

A mim me parece que esta confusão é semântica, isto é:

a. Se por “ego” se entender uma identificação exclusiva com o “eu pessoal”, então essa exclusividade é em sua grande parte perdida ou dissolvida nos estágios superiores de desenvolvimento – esse “ego” é em grande parte destruído, por isso, esses livros descrevem o Samadhi como experiência transegóica.

b. Mas, se por “ego” se entender um “eu” se entender um “eu” que está relacionado com o mundo convencional, então é claro que esse “ego” continua existindo e, na verdade, é fortalecido.

É interessante que, segundo a visão Tântrica a exclusividade com um determinado “eu” é com cada estágio superior de crescimento deste “eu” (Muladhara, Svadhisthana, etc). Devemos lembrar que as capacidades funcionais importantes de cada um destes níveis são conservadas, incorporadas e fortalecidas em estágios sucessivos.

Toda vez que a energia sobe e atinge um outro Chakra, ela se identifica com este novo nível, em seguida ela se desindentifica desse nível e o transcende e, por fim, ela inclui e integra esse nível a partir do nível superior seguinte. Essas afirmações têm por base os sete Chakras principais e, portanto, estou esboçando o caminho que a energia percorre (Laya Krama) numa evolução ou desenvolvimento completo através da Sushumna Nadi que vai desde o nascimento até a iluminação.

 

Rua Santa Clara, 98 Cob. 01, Copacabana - RJ - Tel: (21) 2549-1707